POR QUE TE DISFARÇAS ASSIM?

1 Reis 14:1-6

A casa de Jeroboão, rei de Israel, fora atingida por uma dolorosa notícia, a doença de Abias, seu filho. Em meio ao desespero aquele casal admite que seus recursos eram inúteis e que de outra parte não poderia surgir uma solução, senão do profeta do Senhor.  É bem verdade que o rei havia praticado o que era mau aos olhos do Senhor e O lançado para trás das suas costas, mas agora a família precisava de um milagre. Aproveitando-se do fato de que o profeta Aías já estava cego em função da idade avançada, combinaram então que a mãe se disfarçasse e levasse consigo alguns alimentos a fim de “comprar” o profeta pela “boca”.

Semelhantemente há muitos lares vivenciando os mais terríveis problemas, mas a condução de cada vida em particular bem como da família também tem sido de uma completa rebeldia contra o Senhor. Fazem o que é mau e não se importam com as consequências até que um dia “a casa cai”: vem a enfermidade, o desemprego, as drogas e etc e a única certeza é de que todos os recursos (por maiores e melhores que sejam) são igualmente inúteis. Há até alguns que neste quadro desesperador resolvem buscar a Deus, mas aí surge outro grave problema: não o fazem com sinceridade, enganam-se em pensar que podem enganar a Deus. Soma-se, portanto, aos problemas do lar o absurdo de se querer fingir para Deus, de apresentar-se a Ele com “máscaras”, como que “dando uma de esperto”, sem arrependimento verdadeiro, mas “de Deus não se zomba (Gálatas 6:7)”. Portanto, fica aqui uma reflexão: como você tem conduzido a sua vida e o seu lar? Em que lugar o Senhor está na sua vida? Será para trás das costas também? Independente de como está a sua situação hoje achegue-se ao Senhor com sinceridade, Ele só quer isto pra agir em seu favor e tem mais: “a um coração quebrantado e contrito Deus não despreza (Salmo 51:17)”.

POR QUE TE DISFARÇAS ASSIM?

HORA DE REPENSAR ATITUDES

Gênesis 37:18-20

Conta a Bíblia que os irmãos de José, tomados de ciúmes e de inveja, chegaram ao ponto de já não conseguirem nem mesmo conversar com ele amigavelmente tamanho era o ódio que se instalara em seus corações. Certo dia encontraram José sozinho, logo numa condição de maior vulnerabilidade; estava instalado então um cenário perfeito para pôr em prática o plano maligno que havia em seus corações: matar José e inventar uma mentira qualquer para encobrir o fato, do tipo “um animal selvagem o devorou”.

Pois bem: é até muito fácil criticar tamanha crueldade manifesta na vida daqueles rapazes, mas a grande questão é fazermos uma reflexão a respeito de como temos pautado as nossas atitudes. Quantas vezes ao nos depararmos com uma situação desconfortante não tendemos a agir sob o impulso da insatisfação, da decepção, da mágoa, da inveja, da intolerância, do ódio até? Ao invés de trabalharmos para que o outro mude ou quem sabe até para que nós mesmos sejamos transformados, agimos friamente e a decisão mais certa (segundo o engano do nosso coração) é: se o casamento não está bom a saída é o divórcio; se o emprego não está bom é só pedir a conta; se o funcionário não está bom é mais fácil demití-lo; se não há mais diálogo o melhor é calar o outro de vez (quantos crimes advém desse raciocínio?) Assim, para cada “se não está bom” surgem várias soluções, todavia originadas pelos mais desprezíveis sentimentos, mas o homem que é dirigido pelo Espírito não age assim. Os frutos do Espírito nos levam a uma experiência extraordinária de amor, de paciência, de mansidão, de domínio próprio e muito mais. Fica aqui uma reflexão para cada um de nós: tenho tentado justificar as minhas atitudes com minhas razões ou tenho deixado o Espírito trabalhar por mim e em mim a fim de me tornar alguém melhor para comigo mesmo bem como para com o meu próximo? O “calor das emoções” é que me domina ou tenho mantido o controle nas minhas ações? 

 

HORA DE REPENSAR ATITUDES

ALEGRIA COMPLETA

Marcos 1:1-6, João 3:29

Nosso propósito aqui é refletirmos a respeito de quais meios temos lançado mão a fim de alcançarmos a alegria completa, ou seja, aquela que não é superficial e nem momentânea, mas plena de fato. Muitas vezes acreditamos (e nisto dedicamos todas as nossas forças) que para sermos felizes precisamos viver em um lugar paradisíaco, comer do bom e do melhor, trajar-se com roupas de marca e etc; estamos redondamente enganados. De acordo com as referências bíblicas citadas acima João Batista afirma que “o seu gozo estava completo” e vamos ver que ele não possuía nada do que listamos como “necessário” para ser verdadeiramente feliz. Veja bem: João estava no deserto, usando uma veste de pêlos de camelo, alimentando-se de gafanhotos e mel silvestre. Que horror! Não. Que ensino glorioso! Da mesma forma que a sua alegria não estava atrelada a bens materiais, assim também importa que procuremos viver. Nada contra a ter posses, mas não podemos cometer tal loucura e confundirmos as coisas. João esclarece que a sua alegria estava completa porque ele era “amigo do noivo” e podia “ouvir a voz do noivo”. Deus tem essa mesma alegria pra mim e pra você. O noivo é uma figura profética que aponta para o Senhor Jesus e hoje nós podemos ser “amigos do noivo” (termos intimidade com Ele) e “ouvirmos a Sua voz” (termos sensibilidade). E como Ele nos tem falado a cada dia! Se você quer ter uma alegria completa e eterna agora já sabe o caminho, meu(minha) amado(a)(“Eu sou o caminho…” – João 14:6). 

ALEGRIA COMPLETA

ESPERAR COM PACIÊNCIA

Salmo 40:1

A Bíblia é um livro cheio de mistérios e quão prazerosa é a tarefa de buscar descobrí-los e receber como prêmio a edificação que emana da poderosa Palavra de Deus! Um dia desses li o verso citado na referência acima e pus-me a meditar: qual o segredo para conseguir “esperar com paciência”? Existe alguma relação possível do ponto de vista lógico entre esperar sem contudo ser afligido pelas sensações mais comuns tais como ansiedade, nervosismo, apreensão, raiva, desilusão e por aí vai? Certamente que há uma maneira, contudo esta não pode ser encontrada no campo da razão; a razão não pode processar isto, mas a Fé o pode. Em Isaías 28:16 o próprio Senhor diz: “aquele que crê não se apresse”. É esta então a resposta: aquele que crê está apto a esperar com paciência. A espera não pode ser apoiada em nenhuma outra coisa ou pessoa e Davi deixou isto claro ao afirmar que esperou com paciência “no Senhor” e como é recompensadora esta espera! Para Davi o resultado foi: “e Ele se inclinou para mim, e ouviu o meu clamor”. Mas como assim você pode estar se perguntando. O Senhor Todo-Poderoso, o Rei de todo o universo se inclinou para Davi? A esta altura você ainda procura resposta na razão? De fato estamos diante de um novo e glorioso mistério; e o mais maravilhoso de tudo isto é que este mesmo Senhor grandioso que se inclinou para Davi também se inclina pra você. É isto mesmo, deixe de lado agora mesmo o desespero, a frustração, a ansiedade que o oprime e siga o exemplo de Davi. Mesmo se você estiver em “um lago horrível”, em “um charco de lodo”, o Senhor é aquele que pode “colocar os seus pés sobre uma rocha e ali firmar os seus passos”. Tá esperando o que?  Continuar lendo “ESPERAR COM PACIÊNCIA”

ESPERAR COM PACIÊNCIA

DIA DE BOAS NOVAS

II Reis 7:3-10

Esta é a história de quatro homens leprosos que estavam, além de enfermos, famintos e totalmente desesperançosos, trazendo consigo uma única e terrível certeza: a certeza da morte. Em meio aquele quadro sombrio concluíram que era necessário tomarem uma atitude: levantar e ir em busca de uma oportunidade de vida sob pena de morrerem ali mesmo. Quando a única certeza que se tem é do pior que está por vir, todo esforço vale a pena. E assim foi: chegando à cidade encontraram-na vazia, pois já os inimigos haviam fugido; encontraram também alimento, roupas, ouro e prata porque Deus já havia guerreado com seus exércitos celestiais a fim de promover toda aquela fartura de bênçãos. Já alimentados e providos de muitos recursos concluíram então que não podiam se calar diante de tão grande bênção, agora era necessário anunciar a todos o que Deus havia feito.

Quantos  nesta hora também não estão assim: sofrendo, fracos, cansados, definhando e já sem esperança alguma? Mas eis que nós, povo do Senhor, não podemos nos calar. Como atalaias devemos proclamar a grande salvação que Deus tem operado no nosso meio todos os dias. Dias, aliás, que poderiam ser conhecidos como dias de dores, de angústias, de aflições, de perdas, de mortes até, mas através da intervenção da Graça de Deus estes são agora “dias de boas novas”. Sim, em meio às mais apavorizantes notícias nós temos boas notícias: se você se levantar da sua condição agonizante e desejar viver a vida nova que Jesus tem pra você, experimentará todos os dias o quão maravilhoso é viver dos milagres do Senhor! Não perca mais tempo porque depois pode ser tarde demais, receba Jesus em sua vida agora mesmo, amado(a) leitor(a).

DIA DE BOAS NOVAS