“PASSANDO POR SAMARIA”

João 4:3-7

(Leia a Bíblia, a Palavra de Deus.)

A rota Judéia-Galiléia via Samaria embora fosse mais curta (podendo chegar à metade de dias de caminhada em relação à outra) era também a mais evitada pelos judeus que não queriam enfrentar o desprazer de encontrar um(a) samatitano(a) pela frente e nem pisar nas suas terras. Ainda que mais demorado, mais cansativo, mais ilógico até, fazia ao mesmo tempo todo o sentido sofrer aquele desgaste a sofrer aborrecimentos  de ordem humana. Jesus novamente foi na contramão da maioria e mesmo sabendo o que lhe esperava ali em Samaria não hesitou em dirigir-se para lá. Resistência, preconceitos e comparações O aguardavam, mas Ele estava decidido, “era-lhe necessário passar por Samaria”.

Lamentavelmente nós, na maioria das vezes, não agimos assim com a mesma determinação em enfrentarmos e resolvermos os problemas ao invés de apenas tentarmos fugir deles. Optamos geralmente por caminhos mais difíceis e mais longos, sustentando o nosso ego, os nossos conceitos, talvez até uma falsa certeza. Nesta “rota” que escolhemos sofremos com as dificuldades nela existentes e com as que criamos e guardamos dentro de nós. Fato é que isto não faz bem a ninguém, principalmente a nós mesmos, mas a teimosia e a nossa dureza nos impedem de perdoarmos, de lutarmos pela paz, enfim, de seguirmos mais um belo exemplo deixado por Jesus.

Uma hora a gente tem que mudar e esperamos contribuir neste entendimento; não é que seja fácil, mas é necessário revermos as nossas atitudes, não nos deixarmos dominar pelos nossos sentimentos que muitas vezes nos enganam, fazendo-nos achar que o “nosso caminho” é o melhor. Melhor certamente é o caminho que Jesus traçou pelo seu exemplo de amor pela alma perdida, de compaixão pela dor do estranho, do diálogo em lugar do silêncio. Pense e pratique!

“PASSANDO POR SAMARIA”