“EU NÃO CUIDARA VER NEM O TEU ROSTO”

Gênesis 48:11

(Leia a Bíblia, a Palavra de Deus.)

José, o filho amado de Jacó, foi vendido pelos seus irmãos e estes sem piedade alguma mentiram ao pai o qual ao ver a túnica colorida que lhe trouxeram suja de sangue concluiu logo: uma besta fera o devorou. Diante de tamanha tristeza Jacó recusou ser consolado e passou longos dias que se somaram a anos sofrendo pelo engano, pela maldade, pela saudade e, conforme expressou no verso 11 do capítulo 48 de Gênesis, não acreditava mais que um dia pudesse ver de novo o rosto do seu filho (que não pôde nem ao menos ser sepultado segundo imaginava), no entanto agora estavam diante de Jacó, além de José, seus netos Efraim e Manassés, descendência daquele que não morreu, mas vivia.

Esta é também a expressão de dor de muitos que sofrem pelo engano de ter a mentira como resposta, de acreditarem que tudo está perdido, que não há mais solução. Quantos já perderam a esperança, a fé deu lugar ao sofrimento e às feridas! Mas tal como foi para Jacó ainda hoje a presença de Deus continua sendo o remédio para a alma doente e cansada. Muito tempo se passou, é verdade, mas o Senhor é o mesmo e Jacó expressou (e nós também expressamos todos os dias) o que Deus lhe fez contemplar em meio ao inimaginável. O nosso Deus é “poderoso para fazer tudo muito mais  abundantemente além do que pedimos ou pensamos” (Efésios 3:20). Talvez você se sinta como Jacó se sentiu por um longo período, já não tem forças pra orar, não tem encontrado consolo, mas a presença de Deus pode sim (creia!) fazer toda a diferença na sua vida já a partir de agora; de um estado de sequidão o Senhor vai levá-lo (a) a ver e a dar frutos para a Eternidade. A sua semente vai prosperar e isto será para sua alegria e para a glória d’Ele, um testemunho de que o Senhor é poderoso e fiel!

“EU NÃO CUIDARA VER NEM O TEU ROSTO”